Campanha Salarial dos servidores

Além do reajuste linear de 14,17%, as entidades querem os aumentos específicos das carreiras

 

A Bancada Sindical da Mesa Nacional de Negociação Permanente (MNNP) reuniu-se nesta quarta-feira, 6 de julho, com o secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva, para dar continuidade a discussão da campanha salarial dos servidores públicos federais. O Sindireceita, representado pelo diretor Sérgio de Castro, e mais 25 entidades que compõem a MNNP participaram da reunião.

As entidades representativas dos servidores apresentaram ao secretário a proposta de aumento emergencial de 14,17%, baseada no INPC (Índice Nacional de Preço ao Consumidor), mais o PIB (Produto Interno Bruto). Além do reajuste linear, as entidades também cobraram as pautas específicas das carreiras.

Duvanier Paiva afirmou que o governo concorda em ouvir os pleitos das categorias, desde que sejam viáveis. O secretário de Recursos Humanos marcou uma nova reunião com as entidades, no próximo dia 15 de julho, para apresentar a proposta de política salarial do governo.

Outro assunto discutido na reunião foi o relatório da oficina sobre o PL 1992/2007, que cria a previdência completar dos servidores e tramita na Câmara dos Deputados. Não houve consenso entre as entidades sobre como deverá ser a previdência complementar dos servidores e o governo ficou de apresentar o relatório da oficina na próxima reunião com a bancada.

O acordo sobre o PLP 248/2008, que permite a demissão por insuficiência de desempenho, também foi debatido e o secretário ficou de encaminhar novamente a minuta para análise. A proposta do governo mantém a avaliação de desempenho, mas subtrai o intuito de demissão.

O governo agendou ainda reuniões das oficinas que tratam dos projetos de lei 549/2009, que limita as despesas do governo com pessoal, e o 1749/2011, que propõem a criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. A primeira será no dia 21 de julho e a segunda no dia 28 de julho.